HOME | NOTÍCIAS | VÍDEOS
> NOTÍCIAS

28/03/2020
Dúvidas sobre o coronavirus? Confira as respostas para as principais perguntas

O que é o novo coronavírus?
Os coronavírus são um grupo de vírus que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, as doenças são leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. Já o novo coronavírus (Sars-CoV-2) é um tipo não identificado previamente que foi detectado em humanos pela primeira vez na cidade de Wuhan, na província de Hubei, na China, no fim de 2019.
 
O que é Covid-19?
A palavra coronavírus refere-se ao grupo ao qual o vírus pertence. O vírus em si foi designado como Sars-CoV-2 pelo Comitê Internacional de Taxonomia de Vírus. O nome é uma sigla para Severe Acute Respiratory Syndrome CoronaVirus 2 (síndrome respiratório aguda grave por coronavírus 2, em inglês). Já covid-19 é o nome dado à doença que esse vírus causa. Esse nome vem de "COrona", "VIrus" e "Disease” (doença), e 2019 representa o ano em que ela surgiu.
 
Quais os sintomas?
Há pessoas infectadas que não manifestam nenhum sintoma. Quando eles aparecem, são principalmente respiratórios, semelhantes aos de um resfriado, ou seja: tosse, espirros e coriza. Também pode haver sintomas mais parecidos com os da gripe, como dor de cabeça, dor no corpo, fadiga, febre e diarreia. Se houver dificuldade para respirar, é a hora de procurar assistência médica.
 
Existe risco de morte?
Infelizmente, sim. A taxa de mortalidade geral fica em torno de 3%, mas aumenta conforme a faixa etária avança. Nas crianças e nos jovens, o número de mortes não chega a 1%. Em idosos com mais de 70 anos, as mortes chegam a 8%, e nos idosos com mais de 80 anos esse número sobe para quase 15%. A presença de doenças crônicas e condições que afetem o sistema imunológico aumentam o risco.
 
Qual o risco à população?
Em geral, a infecção provoca sintomas leves na maioria das pessoas. O problema é que ele é altamente contagioso. Assim, se muitas pessoas pegarem, o número de casos graves aumenta junto e podemos ter sobrecarga dos sistemas de saúde. Ainda não se sabe ao certo se o novo coronavírus pode trazer complicações ou sequelas a longo prazo.
 
Qual o tempo de incubação do novo coronavírus?
O "período de incubação" se refere ao tempo entre a infecção e o início dos sintomas da doença. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), no caso da covid-19 esse intervalo varia de 1 a 14 dias, geralmente ficando em torno de 5 dias.
 
Existe vacina contra o coronavírus?
Não. Pesquisas estão sendo feitas, mas até o momento não há nenhum tipo de imunização para a doença.
 
A vacina da gripe ajuda a prevenir o novo coronavírus?
Não, mas é importante se vacinar contra a gripe, principalmente idosos e outros grupos de risco. A pessoa que se vacinar vai saber que, se apresentar sintomas, o risco de ser covid-19 é maior, já que contra gripe ela estará imunizada. A vacina também evita que, caso a pessoa pegue gripe, ela precise ir a um pronto-socorro, onde o risco de contaminação pelo novo coronavírus é maior.
 
Por que os governos estão decretando isolamento?
Como o novo coronavírus é transmitido muito facilmente, o isolamento é uma forma de diminuir o risco de os casos aumentarem expressivamente de uma só vez, superlotando os sistemas de saúde. É o que chamam de “reduzir a curva” da epidemia. Quanto menos pessoas se infectarem ao mesmo tempo, maior a chance de curá-las sem complicações decorrentes da falta de atendimento.
 
Posso pegar o vírus tocando em algo que tem o vírus?
Sim, o vírus pode sobreviver em superfícies e objetos, como mesas, maçanetas, celulares e barras de transporte público. Se você tocar em um lugar contaminado e levar a mão aos olhos, nariz ou boca, pode ser infectado.
 
Quanto tempo o novo coronavírus sobrevive em superfícies?
O tempo que o novo coronavírus sobrevive em superfícies depende muito do material da superfície. Segundo a Escola de Medicina de Harvard, estudos encontraram que o novo coronavírus (SARS-CoV-2) sobrevive por até 24 horas em papelão e de dois a três dias em plásticos e aço. Os pesquisadores também encontraram indícios de que os vírus podem ficar em suspensão no ar por até três horas, embora normalmente eles devam cair no chão antes disso. Mas estudos ainda estão sendo feitos, pois além do material, outros fatores contam, como temperatura, umidade etc.
 
Quando devo ir ao pronto-socorro?
A recomendação dos infectologistas é procurar um pronto-socorro somente se você estiver com febre alta (a partir de 39°C), falta de ar e mal-estar geral excessivo.
 
Qual o tratamento?
O tratamento busca aliviar os sintomas. Antitérmicos para o controle da febre e analgésicos, como paracetamol e dipirona, para controlar as dores. Além desses medicamentos, beber bastante água auxilia no controle da febre. Banhos quentes e umidificadores de ar podem ser utilizados no quarto para ajudar a diminuir a dor de garganta e a tosse.
 
Ibuprofeno pode ser prejudicial?
Há indícios de que pacientes com diabetes e hipertensão têm risco maior de desenvolver quadros graves da doença quando são tratados com esse medicamento. Substitua-o por analgésicos, como dipirona e paracetamol.
 
Fonte: Portal Drauzio Varella

 



 
0 comentário(s) para esta notícia.
 


NOME:
E-MAIL:
COMENTÁRIO:

 
> MAIS NOTÍCIAS
 
Rua Mangalô, 156, Colina A, Patamares, Salvador (BA), CEP 41680-048 - Tel (71) 3367-2173 | 3367-3040 | 3367-7308 | 3367-3041
secretaria@anglobra.com.br